Menu

15/07/2015

Road Trip com Cidades de Papel

    Uma resenha muito sincera
Talvez eu tenha demorado um pouco para perceber, que a forma que o Q descreve a Margo é como ele vê ela. E provavelmente é por isso que eu não gosto dela no livro.
O Milagre de Quentin é só uma das formas de Margo, já que nem a própria Margo se conhece de verdade.

Quem leu o livro estava muito ansioso para As nove coisas para fazer esta noite, que desculpe te decepcionar, não acontece. No filme mostram as "principais", a vingança contra os "amigos" e o ex-namorado. Eu disse que não gosto da  Margo do livro, mas a do filme na minha opinião, supera.

Alerta de spoiler (pra quem leu o livro): 
O filme acaba misturando algumas partes, mas nada confuso.
Rolou aquela decepção básica que acontece quando um livro é adaptado para as telonas, algumas partes são cortadas.
A famosa cena do SeaWorld, o pacto da beca, o Q ganhando sua mini-van. E a parte mais esperada por mim, a frase dita pelo Ben, que é quase diariamente aplicável na vida de todos nós:
"Quanto mais você espera, melhor é a sensação".

 Claro, que apesar de deixar algumas cenas de lado, eles fazem com que outras sejam incríveis: A parte em que eles correm como ninjas, a dança na sala de reuniões, as compras no supermercado e a Road Trip por inteira. 

  

 Spoiler final pra todo mundo:
Ansel Elgort, nosso querido Gus, faz uma participação especial como o Caixa que dá em cima da Lacey, durante a primeira parada.



Nenhum comentário: